junho 24, 2017

2 = 1

Quando nos colocamos acima de tudo e de todos, quando somos a primeira pessoa em evidência, ignoramos a infelicidade, o afastamento da segunda e somente nos damos conta do erro quando uma terceira pessoa passa a existir.
Somos realmente muito importantes, porém, mais importantes que nós é quem nos acompanha. É essa segunda pessoa da nossa vida que realmente nos conhece e nos aceita, apesar dos nossos defeitos. É ela que abre mão de muita coisa para ver a gente feliz.
Gente como a gente só tem uma, mas quando duas estão tão próximas, física e emocionalmente, se fundem e podem ser vistas como uma só.

do livro em andamento Recomeço

Viver sem medo

Como é bom termos novas chances, a de reencontrar, reviver, refazer e reinventar-se. Nos sentimos confiantes e audaciosos, certos de que desta vez não cometeremos erros.
Os mesmos erros não, com certeza, mas continuaremos a errar, como erramos ontem, hoje e erraremos amanhã. Não são apenas de acertos que se vive uma vida, porém, o fato de já termos vivido experiências anteriores, facilita-nos a jornada de descobertas.
Sabendo onde mora o perigo, o evitamos. Entendendo as nossas vulnerabilidades, nos precavemos; difícil mesmo é abandonar antigos sentimentos, ignorá-los.
Embora tenhamos aprendido com as nossas deficiências, ainda estamos propensos a cometer deslizes. Quem vive intensamente, quem permite absorver o conteúdo por completo, optando pela bagagem que vai carregar, é quem certamente ainda sofrerá com decepções, porque afinal nunca mudamos como realmente precisamos mudar.
Uma nova chance requer uma nova pessoa, um novo pensamento, mesmo que o sentimento seja o mesmo, mas podemos deixá-lo fluir de forma não tão comprometedora. Somente quem vive a intensidade de cada momento, é que entende a proporção emocional que causa. Não dá para deixar de ouvir o coração, ele sempre fala mais alto do que a razão.
Para agarrar a nova chance, é preciso que tenhamos garras afiadas, como unhas e dentes, mas ter a leveza de quem já se machucou e não deseja mais nenhum ferimento. 

do livro em andamento Histórias de nossas vidas

junho 23, 2017

Cheiros do mundo

Cheiros de incenso, fumaça de cigarros ou de fogueira, é cheiro bom ou ruim, depende da bobeira. Para não nos incomodarmos demais, só precisamos estar em sintonia com a harmonia alheia.
Reclamar não adianta, cada um exala o cheiro que lhe convém. 
Cheiro ruim mesmo, é cheiro de desarmonia, de ironia, cheiro de gente do mau.
Que cheiremos então, o que vier, pior que cheiros diversos, é não termos narizes para cheirar. 



 

Caridade

Fazer caridade, pois bem.
Sob quais circunstâncias podemos nos considerarmos caridosos?
Levar nosso apoio aos necessitados não deveria requerer esforços. Não precisaríamos nos filiar a comunidades, tão pouco sermos admirados.
O ato da doação deve ser livre, natural.
Quando nos consideramos especiais por dedicarmos parte do nosso precioso tempo, estamos ignorando a humildade, porque especiais são apenas os que a fazem sem alarde, sem que precisem de admiradores.

do livro em andamento Encantamentos místicos

 

Vida em prece

Não apresse uma prece
não ignore quem te ouve.
Não esquece e agradece
não peça apenas, louve.

Não investe no que não te dá retorno
não preste contas a quem te ignora.

Não desista de si mesmo
não leve a vida a esmo. 

do livro em andamento Encantamentos místicos



 
Vivendo um amor livre, 
nos prendemos voluntariamente.

 

Letras de músicas que emocionam e poesias, das mais sentimentais, servem para amores não correspondidos. Quando existe retorno, basta que o vivamos.


 

Bandeirinhas da felicidade

Fazer a felicidade de alguém abastece também o nosso coração de alegria.
Coisas que para uns parecem difíceis, pra gente, que tem mais habilidade, que já enfrentou poucas e boas na vida, não custa nada.
Olhar o próximo como se olhássemos para dentro de nós mesmos, faz  com que quaisquer dificuldades sejam ultrapassadas.
Podemos não sermos capazes de atender os nossos próprios apelos, mas podemos com facilidade realizar pequenos sonhos de outros.
Não estaremos resolvendo os nossos problemas, muito menos os deles, mas podemos ao menos amenizá-los.
Levar um pouco do nosso amor adiante, é levar vida mais colorida, fazendo com que os sentimentos tristes do momento sejam dissolvidos.
Bom demais fazer gente feliz!
O amor nos olhos mostra o sorriso do coração.


Nossa casa, nossa fortaleza

O melhor lugar para se viver é aquele onde encontramos paz interior. Onde alcançamos a plenitude emocional, onde nos sentimos fortes, protegidos e felizes. Não há lugar melhor que a nossa própria casa, mesmo que não haja luxo.
É ela que sabe das nossas histórias, que nos conhece melhor do que ninguém. Em cada parede há um sentimento, em cada canto um pedaço da gente.
No chão onde pisamos somos fortaleza, a comida que comemos nos emociona, até a mais simples. Toda casa é abençoada pelo nosso amor.
Obrigada Senhor, pela casa que habito. 

do livro em andamento Pé na roça


Coragem de arriscar-se

Há um mundo promissor do outro lado da porta do nosso cotidiano. Gente diferente e até igual a nós.
Nossa vida não precisa ser igual todos os dias, podemos sair desse conforto, da proteção exagerada de nossas paredes. Uma vez do lado de fora, perceberemos o quão gigantescas são as possibilidades.
Observando o comportamento de outros, ganharemos atitude, coragem para descobrir a nossa capacidade de absorver mais vida.
Não devemos viver só de trabalho e responsabilidades, ser um pouco irresponsável até pode ser sadio.
Haverão caminhos que desejaremos não seguir, mas isso é interessante, pois poderemos decidir voluntariamente não escolhe-los. Fechados no nosso próprio mundo, não conheceremos o outro lado de nós e permaneceremos apenas na companhia daquele que continua acorrentado, preso as amarras das dúvidas, nos impedindo de conhecermos uma provável irreverência.
Temos capacidade de superar todos os nossos receios, basta que os confrontemos. Temos a capacidade, inclusive, de não desejarmos mudar, se for o nosso real desejo.
Somente dando a cara a tapa é que seremos mais fortes e saberemos enfrentar as dificuldades corriqueiras. Entendendo que não são apenas nós que temos problemas, saberemos lidar melhor com eles.
Destranquemos, pois, a porta da nossa insegurança, aqueçamos os novamente os motores da nossa juventude. 

do livro em andamento Histórias de nossas vidas.

 

junho 22, 2017

Hoje tem sopa

Sopa de novo? Ouve-se um murmúrio num dos cantos da casa.
- Que bom que tem, poderia não ter mais nada.
Reclama-se tanto, quando deixa-se de pensar que muita gente não tem nem casa para viver.
É claro que variar o cardápio agradaria, mas fazer o que, é o que dá.
A questão é aceitar, entender que limitações fazem parte da vida. Sem elas não aprenderíamos a dar valor nas pequenas coisas.
Somos abençoados, não tem como negar. Ao invés de questionar, pensa na dádiva e agradece. 
Hoje tem sopa sim, amém.

do livro em andamento Pé na roça

Dia de lixo

Eu me esqueci que hoje era dia de lixo. O caminhão passa as 2as., 4as. e 6as., são dias de levar o saco na rua. Dia de tirarmos de nossa casa o que não serve mais. Pelo menos eu me lembrei de descartar o lixo emocional, esse sim incomodava demais. Joguei para o alto o pessimismo e decidi sentir com mais responsabilidade.
Para este tipo de faxina, a da alma, não precisa que haja dia certo, todo dia é dia, toda hora é hora.
Acumulamos tanta porcaria sem perceber e elas ainda vão se empilhando logo atrás da porta, impedindo que boas e novas emoções entrem.
Lugar do que não presta é mesmo no lixo, mas cuidado, não jogue nos recicláveis. Se não serve pra gente, não deve servir para mais ninguém. 

do livro em andamento Recomeço

Preferindo a verdade

Falsidade tem se tornado algo tão comum, que ninguém mais se espanta. Pessoas usam máscaras com tamanha naturalidade, que praticamente já fazem parte dos seus acessórios mais corriqueiros. Mesmo quando o assunto em pauta não agrade, ainda assim fazem questão de deixar seus comentários, os fúteis e vazios, bem se sabe.
Noutros tempos, quando não havia tanta interatividade entre os seres, parecia mais fácil reconhecer alguém com falsas opiniões. Talvez ainda nem soubessem mentir direito e acabavam se entregando, já que quando temos o olho no olho é bem mais fácil perceber.
Nunca entendi o que leva alguém a agir dessa forma. Talvez seja um apelo apenas, se for é medíocre; talvez o desejo de ser aceito, mostrando maior interesse.
O que acontece, é que a verdade nua e crua nem sempre é bem recebida, pois pode causar confrontos e encobrir o sentimento real evita desgaste emocional.
O medo da sinceridade faz tremer as bases de um relacionamento, porque espera-se que ele seja sadio, sem atropelos, porém todo e qualquer relacionamento deve ser edificado com franqueza, sem a qual é impossível confiar.
Sou da convicção que se não dissermos o que pensamos quando somos solicitados, não irão nos conhecer de verdade e conhecerão apenas quem fingimos ser.
Doa a quem doer, a verdade precisa ser dita, mas podemos evitar o mal estar deixando de dizer, se a nossa opinião não for requisitada.
Dizer somente o que pensamos, requer um equilíbrio tremendo, já que palavras tem muita força e podem incomodar, desagradar.
Se tiverem interessados em saber o que eu mesma penso, preparem-se, porque vou dizer, ou então nem me perguntem.
As atuais máscaras virtuais são ainda mais maldosas, porque nos fazem acreditar em quem não é digno de confiança. 

do livro em andamento Histórias de nossas vidas

 

junho 21, 2017

Ventos fortes

Existem fatos que ocorrem em nossa vida, que jamais poderão ser explicados, nem todo o conhecimento adquirido seria capaz. Somos expostos a energias, como se entrássemos num corredor de vento, impossível não perder o equilíbrio, forte e poderoso, mesmo que tenhamos ponto de apoio. Essas energias fluem o tempo todo a nossa volta, e então no meio delas rodamos feito peões, desnorteados.
Quando temos conhecimento místico, quando estudos nos orientam na direção certa, compreendemos que assim é o universo invisível; não pode ser visto, mas com certeza é absorvido, somos esponjas.
Nós também somos feitos de energia, elas acabam se misturando em determinados períodos, num espaço/tempo indefinido, não há como prever. 
Uma vez misturados, nos tornamos um só. Separar seria como tentar reverter um suco em pó diluído em água, jamais voltam no seu estado original, nenhum deles.
Sabendo dessa nossa vulnerabilidade, nos perguntamos como evitar, mas a resposta não chega, não há quem nos atenda. 
Embora se saiba que algumas dessas misturas sejam favoráveis, seria ótimo se pudéssemos ao menos optar por elas.
Por conta de se fundirem energias, mudamos, nos tornamos outras pessoas, mas surpreendentemente, talvez até gostemos delas. 
Construímos muros imaginários, porque torna-se necessário nos proteger. Pontes seriam bem melhores, pois nos levariam mais longe e ainda faria com que outros viessem até nos; mas pontes não são seguras, ventos inesperados novamente nos desequilibrariam. 

do livro em andamento Histórias de nossas vidas

 

Distância controlada

Se pudéssemos, manteríamos todas as pessoas que amamos por perto. Cuidaríamos delas como se cuida de borboletas, com carinho e delicadeza. Mas Deus não deu asas somente aos pássaros e aos insetos, ele permite que todos tenham a chance de viverem suas próprias vidas no tempo certo.
Se pudéssemos, manteríamos o controle até da nossa própria vida, já que muitas vezes nos descuidamos.
Próximos de nós continuam aqueles que deixaram suas marcas e mesmo fora do alcance, ainda sabemos que há reciprocidade.
Cabe dentro da gente todo o amor do universo, cabe no coração deles o muito que oferecemos por tanto tempo, quando ainda estávamos juntos. Mas ainda assim, mesmo entendendo a necessidade do distanciamento, ele é cruel, machuca o nosso coração, mesmo que saibamos onde cada um deles esteja.
Se pudéssemos, não sentiríamos falta.
Se pudéssemos, não viveríamos solidão. 

do livro em andamento Histórias de nossas vidas

 

junho 20, 2017

Sonhos reais

Sonhos somente serão irreais 
para quem não sabe sonhar, 
para quem vive de vigiar 
e não entende que faz bem.

Os sonhos são reais, são imortais, 
para quem decide sonhar.

Viver sem sonhos traz desdém, 
pois quem não quer sonhar, 
inveja quem o faz e bem. 

do livro em andamento Recomeço 

 

Rima amando

Rimas do bem, 
que mau tem!
Só cisma de gente ninguém.

Arrisca-se quem
sente vontade de rimar
os sentimentos de alguém.

do livro em andamento Recomeço

 

Luna

Lua lunar
que ilude prateando
os sonhos da menina
ainda engatinhando.

Lua do bem estar
enfeitiça brincando
os olhos da menina
despertando.

Lua altar
que vê a menina crescendo
se tornando uma linda mulher
florescendo.

Lua ninar
que embala as noites, envaidecendo
faz a mulher virar menina de novo
adormecendo.

do livro em andamento Recomeço 

 

Open house

Casa aberta, desabotoada
é casa livre,
melhor que fechada.

Casa alerta, alvoroçada,
é casa liberta,
melhor que amaldiçoada.

Casa aperta, embaraçada
é casa dispersa,
melhor que fosse vigiada.


do livro em andamento Recomeço

 

Flores



Flores às mães que já partiram.
Que nos tocam com dedos de saudades.
Que nos acompanham num silêncio vulnerável.
Flores colhidas do nosso coração,
Entregues às mãos de fecunda energia.
Flores enviadas para o outro lado...
o segredo da vida.