agosto 29, 2012

Despedida - Flora Figueiredo

“Se tiver que ir, vai. O que fica para trás, não sendo mentira, não racha, não rompe, não cai, ninguém tira. Já que vai, segue se depurando pelo trajeto, para desembarcar passado a limpo, sem máscara, sem nada, sem nenhum desafeto. Quando chegar, sobe ao ponto mais alto do lugar, onde a encosta do mundo faz a curva mais pendente e então acena. De onde estiver, quero enxergar esse momento em que você vai constatar que a vida vale grandemente a pena.”

Flora Figueiredo