fevereiro 12, 2016

Mario Quintana

Haverá,
ainda,
no mundo
coisas tão simples
e tão puras
como a água
bebida na
concha
das mãos?