janeiro 17, 2017

Quem é que não perderia o fôlego diante de um encantamento mútuo, já que encantados perdemos a noção da razão e do perigo? Quem é que não se sentiria envaidecido, sendo admirado por ser quem é, sem questionamentos?
Quem é que não se apaixonaria pelo novo, sendo que a novidade nos tornaria também recém chegados à um mundo não explorado?
Que sejam então perdoadas nossas vaidades, já que com mais idade vamos percebendo que pouco mais nos restaria.