março 13, 2017

Fantasia de uma traição

Traição talvez seja um dos males mais inconfortáveis que existe, rasga a alma em mil pedaços, deixa um vazio absurdo dentro do peito e no lugar onde deveria continuar a bater um ávido coração, encontram-se pedras. O rancor é tão grande, que desejamos sermos capazes de atirá-las a mesmo, mas se o fizéssemos, atingiríamos inclusive os que nem tiveram a irresponsabilidade. Tomados por uma irracionalidade tamanha, provamos da crueldade que não nos cabia antes.
Traídos irreconhecemos o nosso íntimo, que mesmo antes de boa índole, passa a experimentar de sentimentos vis, de uma total corrupção; nos sentimos compelidos a dar o troco, a ferir com a mesma lâmina.
Como vítimas desse desassossego, jamais voltamos a ser as mesmas pessoas de antes. Nosso eixo se desconecta, nos sentimos feridos, perdidos e muito pequenos. Mesmo que aprendamos a superar a infelicidade, ainda sentiremos um gosto amargo de derrota.
Ao descartarmos o criminoso de nossa vida, continuaremos ligados a eles, pois dor como esta não se esquece. A vivência de uma traição nos muda definitivamente. Justificativas nunca nos chegarão a altura de um conformismo, de uma aceitação plena. Desculpas ficarão parecendo esfarrapadas e não haveremos de reaprender a conviver harmoniosamente com quem não nos respeitou e aos nossos sonhos de continuidade.
Embora estejamos vulneráveis, ninguém está imune, de uma forma ou de outra também traímos, se não com atos impensados, traímos com o pensamentos, traímos com desejos secretos, traímos nós mesmos fingindo sermos de conduta casta e inviolável.
O que deve ser observado com essa experiência chucra, é que não devemos nos vingar, senão seremos aqueles que também perderão o respeito. Que desrespeitosos sejam , então, os que na sua mediocridade, acreditaram serem o centro do seu próprio universo, esquecendo-se que eram o centro do universo do outro.
Aprender a conviver com um traidor, nos oferece uma sensação de altivez, nos faz sentirmos superiores... mas calma, há deselegância em empinar demais o nariz considerando sermos os melhores, pois quem anda assim também poderá um dia tropeçar e o jogo muda.
Com o tempo vamos percebendo que nem toda traição vem com maldade, algumas são apenas carregadas de vaidades, cujo vaidoso é quem mais sofre.
Há males que vem para o bem, se não fossem as traições não descobriríamos quem é quem, já que a vida é parecida com um baile de máscaras.

(do livro em andamento Deixa Partir)