março 10, 2017

Plantio

Colhi versos ao plantar amor, mas como em todo jardim há também ervas daninhas, colhi a dor.
Nos canteiros da juventude coloquei sementes numa terra adubada de sonhos, alguns não vingaram.
Hoje o meu jardim é mais elaborado, tomo todo cuidado para que larvas não venham dele se aproveitar.
Planto mudas de esperança, converso com as plantas já vistosas e conto sobre minhas aflições, elas com toda a humildade, levam a informação as mais jovens.
Sinto-me conectada e nos dias de tristeza, sento-me no chão, passo as mãos na grama feito tapete, que sustenta os meus sentimentos mais aflitos. Neste processo absorvo a paz, pois elas me proporcionam calma de lucidez.
Não me sinto mais especial nem melhor que nenhuma delas, pois são na sua majestosa grandeza as que realmente sabem viver. Não me cobram nada além de respeito e admiração.
Somos também sementes em crescimento, a espera de alguém que cuide de nós com a mesma dedicação.