março 09, 2017

Por um fio

Não dá para esperar que tenhamos certezas e assim fazer o que é certo, sem a menor chance de errarmos.
É preciso confiar e arriscar, tantas foram as vezes necessárias, não perder tempo, não acovardar-se.  Se não der, não era para dar, não era feito para nós. O negócio então, é tentar de novo e de novo, de um outro jeito, pensando e arquitetando diferente.
O que não dá é ficar esperando por um milagre e só se chega onde se pretende com muito esforço contínuo, sem desistir.
Se deixarmos nos acovardar diante das derrotas, desanimando e desistindo, nunca conseguiremos recuperar as nossas forças e continuar a seguir em frente.
O caminho de todos é tortuoso, há pedras gigantescas que precisamos aprender a escalar. São desafios para a nossa valente alma, que espera o melhor de nós.
É confiando numa nova escolha, que teremos uma nova chance, teremos força nos braços que trabalha e a ajuda da nossa fé.
É preciso ao nos equilibrarmos na corda bamba das nossas dúvidas, estarmos conscientes de uma provável queda, porém seguros da nossa eficácia e destreza, possibilitando que cheguemos do outro lado com segurança.
No amontoado das nossas tormentas pessoais, haveremos de encontrar o fio da meada, a aos poucos desatando os nós.

(do livro em andamento Encantamentos místicos)