abril 18, 2017

Ninguém pediu sua opinião

Há uma certa maldade no ser humano, comumente peculiar daqueles que alimentam-se da desgraça alheia. Satisfazem-se com a morbidez e por incrível que pareça dá ibope.
Como exemplo, pessoas amontoam-se ao redor de um acidente de trânsito, porque precisam saber o que aconteceu, como se isso fizesse diferença direta em suas vidas; poucos são os que realmente estão lá para ajudar. 
Quando existe uma crítica à determinada pessoa ou circunstância, não faltam acusadores. A maioria nem tem conhecimento de causa, não procura saber da verdade, mas sabem muito bem como alimentar o conflito.
Muito triste confirmar dia a dia a decadência humana, principalmente quando se sabe que um poderia ajudar o outro, nem que sejam apenas com palavras de conforto. Denigre inclusive a imagem que temos de nós, e já que talvez sejamos em menor número, esses os que se incomodam, é no mínimo frustrante reconhecer que somos parte dessa raça, embora convictos que não como eles.
Há uma inversão de valores e a mediocridade assim vai crescendo.
Compartilha-se toda e qualquer informação ruim e deixam de compartilhar benfeitorias, já que em menor número.
Somos muito mais, podemos fazer muito mais pelo bem geral. Vale a pena parar um instante, antes de tomar qualquer atitude. Pensar se realmente é necessário interferir no que não nos cabe e principalmente entender o quanto nos afeta.

do livro em andamento Deixa Partir