abril 12, 2017

Soneto da dúvida

Congela-me os sentimentos
Sinto uma palidez mortificada
Quando ouço os lamentos
Da sua voz sufocada.

Vejo-me paralisado nessa morbidez
Trêmulo, fico sem ação
Arrebata-me a falta de lucidez
E me cabe apenas a lamentação.

Quem dera pudesse compreender
O que te incomoda tanto
Talvez, quem sabe entender
O motivo do seu pranto. 

do livro em andamento Deixa Partir