julho 10, 2017

Matemática do amor

Matemática é extremamente necessária em todos os campos da nossa vida, menos na do amor, quando torna-se obsoleta, já que ele tem suas próprias regras.
Mais é menos
Quando exageramos, quando ultrapassamos limites e ficamos condicionados a viver só do desafio de conquistar novamente, a qualquer custo.
Menos é mais
Basta que entendamos que não devemos correr atrás; por mais que nos esforcemos, nada parece agradar. Experimente exercitar um pouco de desprezo, poderá se surpreender.
Um mais um é igual a três
Nem sempre conseguimos manter o equilíbrio e a paz total. Acabará acontecendo com um ou outro, onde um deles irá procurar uma válvula de escape. Quando menos se espera, outra pessoa fica em evidência, mesmo que não seja uma decisão de comum acordo.
Seis é igual a 1/2 dúzia
A infelicidade conjugal, que vez ou outra acaba acontecendo, nos torna mais suscetíveis à novos encontros e procuramos alguém que preencha um vazio existente. O perigo mora nessa escolha, porque por conta do nosso ranço sentimental, escolhemos alguém se não igual, muito parecido.
Conta de dividir
Na matemática pura parece até fácil, mas na prática da vida nem sempre; ambos envolvidos precisam entender que responsabilidades devem ser divididas de igual para igual, o que geralmente não acontece, e termina por sobrecarregar demais um dos dois.
Somatória e subtração
Vamos somando continuamente todos os nossos sentimentos, mas deixamos de subtrair o que nos consome emocionalmente. Aceitando um relacionamento morno, aquele onde nada mais de muito bom acontece. Sentamos e cima dos problemas, como se assim pudéssemos ignorá-los.
Raiz quadrada
Se no tempo da escola já era quase que impraticável, imagine na vida, no dia a dia. São as frações que sempre nos confundem e nos deixam atordoados.
Conta de vezes
Conta se conseguir, a quantidade de vezes que deixou de ser quem era para agradar. Quando fez de tudo para ver a felicidade do outro e mesmo assim não conseguiu. Conta as vezes que deixou de lado o que considerava essencial e acabou acusando por seu erro.
São fórmulas demais para pouco entendimento.

do livro em andamento Histórias de nossas vidas